Wanderlust
Caminho para um lugar desconhecido 

I’m home! I have arrived! This is our Guidance for this practice. Each step is a singular moment. It’s a possibility to dive into the body’s presence. It’s a research focused on feeling the hall body, feeling that we are here, now. Our perception arises from the whole body and it involves the ability to feel the world around, while interacting and communicating with it on many attentive levels.

We will develop an embodied, somatic and ecological experience, building a collective and performative practice. Expect to be guided through a sensory exploration, transforming all into active shapers of shared time and space.

We will also work with the body as the place of home, our home. Therefore, by taking consciousness of this home made of senses, skin, muscles, organs, bones, we will walk. We will explore different types of walking and experience how this can be contemplative and meditative actions, a perceptive and sensorial journey, a creative and symbolic encounter.

Above all, we will search how the body can hold in itself the science of the world (Merleau-Ponty).

 

This workshop has been invited to be part of the B_Tour Festival, a festival of artistic guided tours in Berlin (August 2014). It was presented as a performance at Ponderosa Movement and Discovery (Germany/Stolzenhagen, July 2013). It has participated in the artistic walks develop by Silence Theatre (Lisbon  February 2014), in the workshop Other Writings for Theatre, aslo from Silence Theatre (Lisbon, May 2014) and in the V Artistic Educational Congress at Funchal (Madeira Island, September 2014).

 

 

Estou em casa, cheguei! Este é a premissa para a nossa caminhada. Cada passo é um só momento, é sentir em todo o corpo que estamos aqui, agora. A nossa percepção surge de todo o corpo e envolve a capacidade de sentir o mundo ao nosso redor, enquanto interagimos e comunicamos com este em vários níveis de atenção.

Esta é uma prática em espaço aberto, ao ar livre. Irá trabalhar o corpo como o espaço de casa, a nossa casa. Assim, tomando consciência desta casa feita de sentidos, pele, músculos, orgãos e ossos que é o nosso corpo, vamos fazer uma viagem sensorial e perceptiva, usando a acção de caminhar como o motor da nossa experiência.

Vamos explorar diferentes tipos de caminhada e experienciar como estas podem ser actos, contemplativos e meditativos, criativos e simbólicos, subversivos e activistas. Vamos sobretudo procurar como o corpo possuí em si a ciência do mundo (Merleau-Ponty).

 

Este laboratório foi convidado a integrar o B_tour Festival (Agosto de 2014), um festival em Berlim, que utiliza de forma artística o formato das visitas guiadas. Participou enquanto performance artística na Ponderosa Movement and Discovery (Alemanha/Stolzenhagen, Julho de 2013), nas Caminhas Artísticas de Carnide, organizadas pelo Teatro do Silêncio (Lisboa, Fevereiro de 2014), no Workshop Outras Escritas para Teatro, também do Teatro do Silêncio (Lisboa, Maio de 2014) e no V Congresso de Educação Artística do Funchal (Ilha da Madeira, Setembro de 2014).

 

 

Contradictory Truths 
verdades contraditórias
My Friends Tail
A cauda dos meus amigos

This workshop or class searches for a journey that dialogues between our past, present and future. Where do we come from? What is our lineage? What is the knowledge that we bring with us? How do we deal with our hi-tech multitasked bodies in the present? In which direction do we go? What are our future dreams?

It's also a journey to sharp our perception moving across the consciousness of our selves, the others and the world. We will search for a sensitive awareness and vibrant body of movement, sound and voice.

This lab is based in the “tail” of knowledge that we received in life encounters, in the several movement techniques we master, experiences we gather with different teachers, within different contexts and environments. It searches for a juxtaposition of all the information we carry and the lineage that we have been inheriting over the years.

We will travel through different practices and compositional methods. We will work on improvisation, durational movement sessions, scores, performative tasks, contemplative tasks, game-like tasks, some somatic practices and body work.

 

This work has been explored in composition and choreography workshops at Colégio Cesário Verde (Lisbon, 2010/13) and at the Arts, Music and Dance Atelier (Funchal, 2012/13).

 

 

A Cauda dos Meus Amigos tem por base a “cauda” de conhecimento que temos recebido ao longo vida, as várias técnicas que dominamos, as experiências que acumulamos com diferentes professores, em diferentes contextos e ambientes. Procura uma justaposição de toda a informação que trazemos e de toda a linhagem que temos herdado ao longo destes anos. De onde vimos? Qual a nossa linhagem? Qual o conhecimento que trazemos connosco? Como lidamos actualmente com o nosso corpo multifuncional e "hi-tech"? Em que direcção é que vamos? Quais os nossos sonhos futuros?

 É também uma viagem para mergulhar na nossa percepção e desenvolver a consciência sobre nós, os outros e o mundo. Iremos procurar uma consciência apurada e um corpo vibrante de movimento, som e voz.

Iremos trabalhar com diferentes práticas e métodos de composição, nomeadamente: improvisação, práticas duracionais, scores (partituras diversas), tarefas performativas, tarefas contemplativas, tarefas com base em jogos, práticas somáticas e meditativas.

 

Este formato tem sido trabalhado através de laboratórios de criação e composição coreográfica, no Colégio Cesário Verde (Lisboa, entre 2010 e 2013) e no Atelier de Dança, Música e Artes (Funchal, 2012/13).

 

This workshop articulates a process between experimentation and composition, documentation and performance, collaboration and creation, authorship work and appropriation, outdoors and indoors practice.

We will develop a process based on absorbing knowledge, drifting, moving across, mixing up, fertilizing, contaminating, spying and stealing and then taking it forward, spreading it out, creating new constellations and further pollinations. We will pass through a sort of metamorphosis transforming our selves into bees, flying from one experience to another, transferring valuable pollen and allowing unexpected fertilizations.

It is a workshop divided in three parts: a first one with a practice session, where it will be explored improvisation, scores, performative tasks, game like tasks, somatic practices and body work. A second one generating and documenting materials from the practice and the third one where it will be develop performative and compositional proposals.

 

This is a workshop inspired by a methodology of Tamara Cubas, an artist and choreographer from Uruguai. It has been develop as a practice at Ponderosa Movement and Discovery (Germany/Stolzenhagen, August 2013)

 

 

Este laboratório desenvolve sinergias entre experimentação e composição, documentação e performance, colaboração e criação, trabalho de autor e apropriação, práticas em estúdio e ao ar livre.

É um processo que tem por base absorver conhecimento, andar à deriva, cruzar, misturar, fertilizar, contaminar, espiar, roubar e depois expandir, espalhar para outras redes de trabalho, de forma a criar novas constelações e mais polonizações. Iremos à procura de um processo de metamorfose, onde nos transformamos em abelhas que transferem valioso pollen ao voar de uma experiência para outra, gerando inesperadas fertilizações.

É um workshops que se divide em três fases: a primeira de uma prática física, onde será explorada improvisação, scores (partituras diversas), tarefas performativas, tarefas com base em jogos, práticas somáticas e meditativas. A segunda de criação e documentação de materiais a partir da experiência vivida na prática e a terceira de desenvolvimento e elaboração de propostas performativas e composicionais.

 

Este é um laboratório inspirado numa metodologia utilizada por Tâmara Cubas, artista e coreógrafa do Uruguai.

Foi desenvolvido como prática artística na Ponderosa Movement and Discovery (Alemanha/Stolzenhagen  Agosto de 2013).

© Sara Anjo 2018