TRAÇA é um projecto de criação artística, desenvolvido a longo prazo, sobre a relação do corpo com o território e o ecossistema. Tem como ethos formal explorar a criação de diferentes objectos artísticos mediados pela caminhada enquanto prática experimental. Trabalha o percurso do ser humano numa relação simbiótica com o seu meio, através de 3 acções: respirar, caminhar e parar. Estas acções são desenvolvidas enquanto agentes coreopolíticos, agentes que operam através do movimento para uma consciência do corpo e do território.

As 3 acções que são a base deste projecto, são também 3 gestos primordiais da humanidade. Esta tríade pertence aos movimentos matriciais do ser humano, respirar o gesto que dá a vida e na sua ausência retira-a. Caminhar o gesto que nos faz avançar e procurar. Parar, o gesto fundamental que intercala todo e qualquer movimento. São também gestos que, ao serem explorados além da sua função de mecanismos involuntários, criam um espaço de profunda reflexâo e consciência do corpo, de nós e do mundo. Estes gestos são ainda primordiais a todos os seres que vivem seja em movimento, seja em quietude e acontecem na relação continua e simbiótica com o meio envolvente. Sabemos que independentemente da nossa idiossincrasia, pertencemos uns aos outros e vivemos uns dos outros. A vida opera por relação e afecto, por contágio e infecção e não apenas por reprodução.

Este projecto teve uma 1ª fase, denominada "TRAÇA | 12 partituras para respirar, caminhar e parar”, que o longo de 2021 desenvolveu vários objectos artísticos maioritariamente online: 12 partituras, 4 peças sonoras, 4 vídeos. Actualmente está a ser desenvolvido sobre o chapéu de "TRAÇA | um caminho para um lugar de força", que trabalha a relação e afectividade dos corpos com os lugares, através de caminhadas com a comunidade e a criação de peças performativas. Em 2023 será desenvolvido "Hidden Track" um passeio sonoro.

TRACE is an artistic creation project, developed on a long term basis, and explores the relationship of the body with the territory and the ecosystem. The ethos of the project is the creation of different performances mediated by walking as an experimental practice. It works the path of the human being in a symbiotic relationship with its environment, through 3 actions: breathing, walking and being still. These actions are developed as choreopolitical agents, agents that operate through movement towards an awareness of the body and the territory.

The 3 actions that are the basis of this project are also 3 primordial gestures of humanity. This triad belongs to the matrix movements of the human being, breathing the gesture that gives life and in its absence takes it away. Walking is the gesture that makes us move forward and seek. Stop, the fundamental gesture that intersperses each and every movement. They are also gestures that, when explored beyond their function of involuntary mechanisms, create a space for deep reflection and awareness of the body, ourselves and the world. These gestures are still essential to all beings that live, whether in movement or in stillness, and they take place in a continuous and symbiotic relationship with the surrounding environment. We know that regardless of our idiosyncrasies, we belong to each other and live off each other. Life operates by relationship and affection, by contagion and infection and not just by reproduction.

This project had a 1st phase, called "TRACE|12 scores to breathing, walking and being still", which throughout 2021 developed several artistic objects, mostly online: 12 scores, 4 sound pieces, 4 videos. At the moment is being developed under the umbrella of "TRACE | a path to a place of strength", which works on the relationship and affectivity of bodies with places throughs walks with the community and the development of performative pieces. During 2023 it will be developed "Hidden Track" a sound walk.