© Sara Serrão

The body is a big sagacity, a plurality with one sense, a war and a peace, a flock and a shepherd.

O corpo é uma grande razão, uma multiplicidade com um só sentido,

uma guerra e uma paz, um rebanho e um pastor.

Nietzsche, Thus spoke Zaratustra

 

 

For the body that moves, space is primarily a kinaesthetic perception, a perception that is extended out of the body and at the same time embodying the space. How do our senses navigate through space, time and perception?

My body is my home is an artistic research that develops an embodied, somatic and perceptive journey through

an in and outdoors practice. This practice explores the relations between a more controlled and closed environment - such as the studio and stage, and an open-horizon environment such as the one found in urban and rural landscapes. It is focused on how do our perception operates between micro and macro scales, between an inner and outer perception of the world, searching for a hyper perceptive and multifunctional body, a total body. It is an in and out choreographed practice searching for the perceptual body idiosyncrasy. Where do we place the centre of our perception? How to expand its borders? What is implicit an explicit in our awareness of the Self, the other and the world?

To explore these questions this research is divided in different workshops and class formats.

 

Para o corpo que se move, o espaço é primeiramente um espaço de percepção cinestésica, uma percepção que se expande para fora do corpo e que ao mesmo tempo incorpora o espaço. Como é que os nossos sentidos navegam através do espaço, do tempo e da percepção?

O meu corpo é a minha casa é uma pesquisa artística que desenvolve uma viagem corporal, somática e perceptiva através de práticas tanto em espaços de interior como o estúdio ou o atelier, como em espaços ao ar livre na cidade e no campo. É através do encontro entre estes espaços, de natureza distinta, que cruzam micro escalas com horizontes longínquos, ambientes imprevisíveis como o espaço de uma floresta com meios controlados como um estúdio de dança, que esta pesquisa procura um corpo hiper perceptivo e multifuncional, um corpo total.

Assim, o foco situa-se na idiossincrasia do corpo. Onde está o centro da nossa percepção? Como alargar as fronteiras desta? O que é se mantêm implícito e o que é que se revela explícito na consciência de nós, do outro e do mundo?

Para explorar estas questões esta pesquisa divide-se em diferentes formatos de laboratório ou aula.

 

 

© Sara Anjo 2018