Peça Sonora I

"Do Húmus a Força"

de Artur Pispalhas

Equinócio da Primavera

Os dias tornam-se agora longos, o ar menos cortante e a fertilidade da terra evidente. A paisagem preenche-se de verde vivo e fresco e os corpos enchem-se de vontade. Há clorofila por todo o lado.

Esta peça procura activar uma memória de lugares e paisagens, através de sons abstractos, usando a síntese e a samplagem. Palavras como "verde", "fresco" e "vontade" são o mote para criar os instrumentos de uma orquestra que quer despertar vontade de sair à rua e procurar os sons que realmente o são.

© Sara Anjo 2021